Imagem de capa

Notícias

CHAMADA CONVERGÊNCIA LUSÍADA nº 47

2021-08-04

CHAMADA CONVERGÊNCIA LUSÍADA nº 47

CRIME E CRIMINOSOS NAS LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Organizadoras:

Carla Portilho (UFF)

Andreia Castro (UERJ- PPLB)

 

No Oitocentos, os acontecimentos delituosos receberam grande divulgação e a atenção de um público cada vez mais ávido pela notícia. Criminosos alcançaram um inusitado protagonismo na imprensa, na literatura e nos estudos científicos, consequência da forma obsessiva com que a sociedade encarava a crescente criminalidade. Mais importante do que o receio do crime, era o interesse que ele despertava, e quase ninguém escapava a esse fascínio. O folhetim desempenhou um papel importante na construção e na divulgação desse imaginário, ao oferecer a quase todo mundo porções seriadas de textos que abordavam com sensacionalismo a miséria, a loucura, a violência e os crimes mais sangrentos. Fórmula criada, sucesso garantido. De fato, a escrita sobre o assunto escapou das prisões do tempo e do espaço sendo ainda hoje garantia de êxito. Criando, imitando, citando, copiando ou parodiando, muitos prosadores e poetas também se apropriaram do estilo, do tema e do texto alheio formando um imenso hall de “escritores criminosos”. Convidamos pesquisadoras e pesquisadores a apresentarem artigos que analisem o mistério, a investigação e/ou o crime como tema ou como estratégia intertextual, considerando obras de escritores lusófonos ou o diálogo com elas.

 

Prazo para submissão: até 30/11/2021

Previsão de publicação: até junho de 2022

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CHAMADA CONVERGÊNCIA LUSÍADA nº 47

CRIME E CRIMINOSOS NAS LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Organizadoras:

Carla Portilho (UFF)

Andreia Castro (UERJ- PPLB)

 

No Oitocentos, os acontecimentos delituosos receberam grande divulgação e a atenção de um público cada vez mais ávido pela notícia. Criminosos alcançaram um inusitado protagonismo na imprensa, na literatura e nos estudos científicos, consequência da forma obsessiva com que a sociedade encarava a crescente criminalidade. Mais importante do que o receio do crime, era o interesse que ele despertava, e quase ninguém escapava a esse fascínio. O folhetim desempenhou um papel importante na construção e na divulgação desse imaginário, ao oferecer a quase todo mundo porções seriadas de textos que abordavam com sensacionalismo a miséria, a loucura, a violência e os crimes mais sangrentos. Fórmula criada, sucesso garantido. De fato, a escrita sobre o assunto escapou das prisões do tempo e do espaço sendo ainda hoje garantia de êxito. Criando, imitando, citando, copiando ou parodiando, muitos prosadores e poetas também se apropriaram do estilo, do tema e do texto alheio formando um imenso hall de “escritores criminosos”. Convidamos pesquisadoras e pesquisadores a apresentarem artigos que analisem o mistério, a investigação e/ou o crime como tema ou como estratégia intertextual, considerando obras de escritores lusófonos ou o diálogo com elas.

 

Prazo para submissão: até 30/11/2021

Previsão de publicação: até junho de 2022

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saiba mais sobre CHAMADA CONVERGÊNCIA LUSÍADA nº 47

Edição Atual

v. 31 n. 44 (2020): Travessias: diálogos entre as literaturas portuguesa e brasileira
Capa da Convergência Lusíana 44

Organizadoras:
Andréa Sirihal Werkema (UERJ) e Viviane da Silva Vasconcelos (UERJ)

Publicado: 2020-12-30

APRESENTAÇÃO

DOSSIÊ

Ver Todas as Edições

A revista Convergência Lusíada, Qualis B2, na área de Linguística e Literatura (2013-2016), tem como objetivo a divulgação nacional e internacional de artigos, entrevistas e resenhas inéditas, sobre literatura portuguesa, relações luso-brasileiras e estudos comparados especialmente entre literatura portuguesa e outras literaturas de língua portuguesa, com possível perspectiva interdisciplinar,  que representem contribuições relevantes para as referidas áreas.